25 de setembro de 2015

O Mago de Camelot


Ano passado aconteceu aqui em Belo Horizonte a 4ª edição da Bienal do Livro de Minas e eu fui!!!

Fui uma vez logo no início e outra no final e ao contrário do que a gente vê da Bienal do Rio e da Bienal de São Paulo, a de Minas é mais simples não teve Trono de Ferro :'(, mas isso não foi um impedimento para a enorme variedade de livros expostos. 


Comprei apenas três livros, uma edição de O Pequeno Príncipe para chamar de minha, já que apesar de amar o livro e ter lido várias vezes, ainda não tinha meu próprio exemplar. Comprei também A Revolução dos Bichos, de George Orwell que ainda não li e O Mago de Camelot, do escritor brasileiro Marcelo Hipólito.

Eu ao lado de Marcelo Hipólito

Autógrafo de Marcelo Hipólito no meu exemplar! *.*

Sempre gostei bastante das histórias do Rei Artur, Lancelot, Guinevere e tudo que envolve esse universo, porém nunca tinha lido um livro a respeito, então quando vi O Mago de Camelot na Bienal, ele me chamou muito a atenção.

Me lembro da leitura ter me prendido bastante e de ter terminado o livro em três dias. Na época fiz uma resenha sobre ele, porém como ainda não tinha o blog, não compartilhei com vocês, mas agora vai...


Em “O Mago de Camelot – A Saga de Merlin Para Coroar um Dragão”, Marcelo Hipólito dá vida à sua versão de Merlin e nos faz viver a vida do personagem desde sua infância, passando por todos os seus sofrimentos e conquistas até se tornar o renomado e temido Mago.

O livro traz muita emoção, traição, guerra, magia e tem a capacidade de nos prender mais e mais a cada página lida. Para deixar a história mais dinâmica, Hipólito divide o livro em duas partes: Parte 1 – Trevas e Parte 2 – Luz.


Na primeira parte nos é contada com maior ênfase a história dos druidas (que segundo meu queridíssimo Houaiss, significa: antigo sacerdote celta, com funções de educador e juiz) Blaise e Merlin. Os druidas não sabem ler, não tem uma religião certa, não devem lealdade a nenhum rei ou rainha e se encontram no meio de uma guerra entre britânicos e saxões. Neste contexto, Blaise conhece o jovem ladrão Merlin e decide torna-lo seu aprendiz. Merlin cresce e se torna o respeitável conselheiro de Uther, o filho do rei, que é apaixonado pela esposa do seu melhor amigo. Merlin então o ajuda a enganar a mulher de seus sonhos e como fruto da traição, nasce Artur. Porém nem tudo são flores e Merlin exige de Uther um preço caro por sua magia: Uther deveria entregar o filho que teve com a mulher que desejava para Merlin assim que ele nascesse.


Na segunda parte do livro, nos é retratada a infância pobre de Artur, que foi criado pela plebe até atingir seus oito anos de idade, quando Merlin decide busca-lo e torna-lo seu pequeno aprendiz, ensinado-lhe tudo que aprendeu quando era pupilo de Blaise. Dessa forma, após a morte de Uther, foi dada a Artur a missão de deter a famosa espada que apenas pode ser empunhada pelos herdeiros do trono: Excalibur. Quando isso acontece, a paz em Tintagel é ameaçada e Morgana, meia irmã de Artur, que também possui poderes, reaparece cheia de ódio por ter visto sua família ser destruída e conquista Merlin, fazendo com que ele a ajude a desenvolver seus poderes e causar a guerra que ainda estava por vir e que consagrou Artur como O Salvador da Britânia, mas para saber como isso aconteceu, só lendo o livro! ;)

Marcador bem lindo, igual a capa, que veio junto com o livro!


Espero que tenham gostado e que se interessem pelo livro tanto quanto eu!


Obrigada pela visita e volte Sempre às Quatro!

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publi Nosso de Cada Dia