20 de abril de 2016

Demolidor: 2ª Temporada

Demolidor: 2ª Temporada

Essa resenha será um pouco diferente das demais. Como eu e a Amanda estávamos muito animadas com a 2ª temporada de uma série que teve uma 1ª temporada MARAVILHOSA, (que você pode conferir post sobre ela aqui), acabamos não tendo as mesmas impressões sobre a última temporada. Portanto, teremos um resuminho do que esperar dessa nova etapa de Demolidor e, logo após, nossas opiniões supimpas! \o/

Uma observação importante: não lemos quadrinhos. Ou seja, nossas opiniões se referem apenas ao que assistimos, não fizemos nenhuma relação quanto à fidelidade às HQ's.

Demolidor 2ª Temporada
Justiceiro, Demolidor, Elektra
Foto: Divulgação Netflix

Após o desfecho da primeira temporada, somos apresentados ao escritório Nelson and Murdock com sérios problemas financeiros e um Matt Murdock (Charlie Cox) dividido entre sua vida como advogado e vigilante das ruas de Hell's Kitchen. Na verdade, não tão dividido, já que o escritório é posto de lado, o que gerou vários conflitos com Foggy Nelson (Elden Henson).

Uma série de ataques a gangs e organizações criminosas provocadas por um provável exército vem se alastrando e os métodos do Demônio de Hell's Kitchen não são suficientes para conter o caos em que a cidade imergiu. Mas a maior surpresa é descobrir que o suposto exército nada mais é que apenas um homem, desconhecido, que passam a intitular Justiceiro (Jon Bernthal).


Demolidor
Demolidor (Charlie Cox)
Foto: Divulgação Netflix

Não bastasse a vida do Demolidor estar tumultuada ao ser confrontado diretamente por alguém mais forte, com o mesmo propósito, porém com meios antagônicos aos seus; não bastasse a crise que paira sobre o escritório de advocacia; não bastasse tudo estar encaminhando pra dar errado mesmo numa tentativa de fazer dar certo com Karen Page (Deborah Ann Woll), eis que surge das profundezas de sabe-se lá onde, Elektra (Élodie Yung), um amor do passado de Matt Murdock.




Elektra vem apresentar a Matt outra ameaça que sua preciosa cidade vem enfrentando: Yakuza está de volta, mesmo Matt acreditando tê-la expulsado. Mas como aqui não basta ter notícia ruim, tem que ser BASTANTE ruim, Yakuza vem acompanhada de uma seita, podemos dizer, chamada "Mão", que envolve poderes de magia e mortos que voltam à vida. Nada mal para nosso vigilante.



Nesse contexto de magia, fica dada a deixa para uma das próximas produções da parceria Marvel/Netflix, Punho de Ferro, que já tem definido qual ator irá interpretá-lo: Finn Jones, ator britânico mais conhecido por viver Loras Tyrell na série de TV Game of ThronesAlém dele, temos Claire Temple, como a ligação entre Jessica Jones (post sincero aqui) e Luke Cage. E queira Deus isso não seja o fim do meu amor pelo Foggy, temos uma suposta deixa para aparição do jovem na segunda temporada de Jessica Jones, ou quem sabe Luke Cage?

Opinião I

por Amanda Campanha

Eu demorei muito para assistir a primeira temporada de Demolidor. Na verdade, só comecei a assistir quando a segunda temporada foi lançada. Já nos primeiros episódios eu me apaixonei pela série e essa paixão só aumentava cada vez que Wilson Fisk maravilhosamente roubava a cena.

E então veio a segunda temporada... Pois é! Vi muita gente falando que era sensacional, que estava perfeita. Eu pensei comigo mesma que deveria ser a 8ª maravilha do mundo moderno, mas não foi. Quase morri de tédio! :)


Foggy Nelson
Foggy Nelson (Elden Henson)
Foto: Divulgação Netflix

Frank Castle com certeza conquistou e a Netflix deu ao personagem uma coisa que não veríamos na TV: sangue, muito sangue! Pode parecer estranho dizer isso, mas a violência do personagem deu um toque especial à série e a tornou muito mais "assistível". Não podemos esquecer do Foggy, que por diversas vezes roubou a cena, tomou as rédeas da situação e resolveu os problemas da Nelson & Murdock, enquanto Matt se preocupava demais em ser o Demolidor e agir como um idiota nas horas vagas...

Tudo estava indo muito bem, até que somos apresentados à Elektra, uma personagem completamente sem sal, uma atuação horrível, que só serviu pra fazer o Matt agir de forma estranha e plantar um ódio tão grande no meu coração que tudo que eu queria era ver ela morta!

Justiceiro
Justiceiro (Jon Bernthal)
Foto: Divulgação Netflix

O restante da série não foi ruim, longe disso, inclusive em algumas cenas eu cheguei a ficar de boca aberta com tudo que estava vendo, mas foi uma temporada morna. E para falar a verdade, o que salvou essa temporada foi uma referência à Hell's Kitchen do passado...

Opinião II

por Roberta Kelly

Ouvi vários comentários que me deixaram bastante apreensiva: estavam considerando essa segunda temporada melhor que a primeira! E como eu contei sobre criar expectativas e me decepcionar (vide Jessica Jones), não quis acreditar no que ouvia ou lia e fui assistir com a cara e com a coragem. O que foi ótimo, já que considerei essa temporada muito boa, mas NO MÁXIMO tão boa quanto a primeira, nada mais.

Demolidor e Matt Murdock foram meros coadjuvantes em seus mundos. Foggy roubou a cena nos incríveis debates do julgamento de Frank Castle. Por sua vez, mesmo eu tendo todos os preconceitos, não consegui deixar de me encantar pelo Justiceiro de Jon Bernthal, que deixou o Demolidor no escanteio. Mas minha favorita foi Karen Page, que fazia todo trabalho de campo e interpretava de maneira inteligentíssima. As INÚMERAS vezes em que ela fazia a donzela em perigo conseguem ser perdoadas pela determinação da personagem.


Karen Page
Karen Page (Deborah Ann Woll)
Foto: Divulgação Netflix

Mas a parte menos interessante de toda a série, foi de longe, Elektra. Não sei se pelo fato dela só aparecer em momentos absurdamente inconvenientes, ou se realmente a personagem não foi bem trabalhada. Quero acreditar que toda minha antipatia à personagem tenha sido a real intenção dos produtores. Nesse caso, troféu joinha pra eles. Caso contrário...

Mas a parte boa é que passei a valorizar sotaques. Todos querem passar despercebidos e reduzir ao máximo o que indique que não são nativos na língua falada, mas se repararmos em Elektra, 99% da sua sensualidade estava naquele sotaque. Quem não se derreteu ao ouvir aquele "Hello, Matthew!"?


Elektra
Elektra (Élodie Yung)
Foto: Divulgação Netflix

Espero que tenha gostado dessa pequena resenha. Não era a intenção ficar gigantesca, mas é tanta coisa pra falar, não é mesmo? Hahaha Já assistiu a segunda temporada? Morreu de amores? Odiou? Deixe sua opinião nos comentários!



Obrigada pela visita e volte Sempre às Quatro!

2 comentários:

  1. Estava conversando com a Amanda, achei a segunda temporada muito melhor do que a primeira, porém a segunda temporada tem MUITAS referências das HQS, e para um fã ver a cena sair dos quadrinhos para série chega ser perfeito <3
    Outra coisa o Jon Bernthal nasceu para ser o Justiceiro, ele executou o papel perfeitamente, aquela cena do corredor da cadeia e o rosto dele cheia de sangue é PERFEITA.
    Agora é torcer para o Justiceiro ganhar uma série da Netflix, com bastante sangue mesmo, e muitos hematomas no rosto durante a série inteira( parabéns o pessoal da maquiagem ).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria bem incrível mesmo uma série do Justiceiro! Ia ser interessante mostrar um pouco dele na guerra e o relacionamento com a família. Fico feliz que você tenha gostado tanto da série! E pra ser sincera, nem lembrava que era maquiagem! =O Parabéns mesmo então, né? Hahaha

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publi Nosso de Cada Dia